Sem categoria

Polo de Audiovisual de Nova Friburgo promove o Cine SerraAção

Teve início no dia 16 de março, na Usina Cultural Energisa, o programa de Formação sobre Teoria e Linguagem Cinematográfica. A iniciativa consiste em sessões de exibição de filmes e debates.

Renata Spitz é a facilitadora e responsável pela curadoria e ementa do programa. Renata é formada em Cinema e Vídeo pela Universidade Federal Fluminense. Realiza um trabalho de formação audiovisual com ênfase na teoria e práticas experimentais com a linguagem cinematográfica. Produziu, escreveu e dirigiu três curtas-metragens e quatro webséries premiados, exibidos em festivais e licenciados para canais de TV e plataformas de streaming. É sócia da produtora Terra Bruta, uma das empresas selecionadas no programa de Coworking do Rio Criativo.

Os encontros do Cine SerraAção são divididos em oito módulos e se estendem até o dia 13 de julho. No primeiro módulo, Renata apresenta o conceito básico de clássico narrativo e da estruturação elementar do filme. No decorrer do programa, Renata Spitz aborda temas como o poder da imagem fotográfica e cinematográfica, as propriedades e funções do som no cinema, contextualização da linguagem e os sistemas de direção.

Confira o cronograma:

Módulo I

Apresentação do conceito básico de clássico narrativo e da estruturação elementar do filme:
o plano e as relações de sentido. Exposição do que é clássico e dominante tal como os termos World Cinema e as implicações políticas, econômicas e estéticas. Introdução ao cinema de flutuações e ambiguidades.

16/03 – Cliente Morto Não Paga, 1982, Carl Reiner (EUA)

23/03 – Contos de Tóquio, 1953, Yasujiro Ozu (Japão)

06/04 – Meshes oh the Afternoon, 1943, Maya Deren (EUA) + Estrada Perdida, 1997,
David Lynch (EUA)

27/04 – Memórias de Um Assassino, 2003, Joon-Ho Bong (Coreia do Sul)

Módulo II

O poder da imagem fotográfica e da imagem cinematográfica. A impressão de realidade e a ilusão do movimento.

04/05 – Holly Motors, 2012, Leos Carax (França)

11/05 – Curtas: Gare Du Nord (trecho do projeto Paris vu par, episódio dirigido por Jean Rouche) + A Viagem do Balão Vermelho, 1956, Albert Lamorisse (França) + Paisagem na Neblina, 1988, Theo Angelopoulos (Grécia)

Módulo III

Propriedades e funções do som no cinema.

18/05 – Vá e Veja, 1985, Elem Klimov (Rússia)

25/05 – Vidas Secas, 1963, Nelson Pereira dos Santos (Brasil)

Módulo IV

Introdução e definições acerca da montagem: relações gráficas, rítmicas, temporais e espaciais dentre dois planos.

01/06 – Deus e o Diabo na Terra do Sol, 1964, Glauber Rocha (Brasil)

08/06 – O Intruso, 2004, Claire Denis (França)

Módulo V

A estrutura do “plano ponto-de-vista” e a construção do olhar. Participação afetiva e o “jogo das identificações”.

22/06 – No Tempo das Diligências, 1939, John Ford (EUA)

Módulo VI

Contextualização da linguagem cinematográfica dos primeiros tempos

29/06 – A Regra do Jogo, 1939, Jean Renoir (França)

Módulo VII

Sistemas de direção. O movimento do quadro cinematográfico e suas funções.

06/07 – Rastros de Ódio, 1956, John Ford (EUA)

Módulo VIII

Cinema e psicanálise. Ilusão, sonho e fantasia. O lugar do espectador, espectador e tela,
a situação-cinema. Voyeurismo, fascinação e narcisismo.

13/07 – Primeiro Cinema + Um Estranho no Lago, 2014, Alain Guiraudie (França)

As sessões acontecem na Usina Cultural Energisa. A entrada é franca. Faça sua inscrição aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *